"UMA EQUAÇÃO ONDE MENOS SIGNIFICA MAIS"



 
A tributação brasileira sem duvida é um entrave para o crescimento do Brasil e cada vez mais temos visto uma dificuldade de entendimento entre os distintos níveis do governo para alavancarem uma reforma que realmente desafogue as empresas dessa carga tributaria indecente.
 
Em um dos clarões de nobre iniciativa, temos uma proposta que vem de Brasília para unificar o ICMS e uma alíquota de 4% nas operações interestaduais, numa clara intenção de combate a guerra fiscal que há décadas vem sendo travadas entre os estados brasileiros. Essa reforma cria um melhor entendimento da norma fiscal, já que hoje cada Estado conta com norma própria.
 
No caso dos medicamentos, todo setor trabalha para ter uma alíquota menor no Estado de São Paulo. De início, o recuo seria de 18% para 12%, e depois para 7%.
 
O Sincamesp vem trabalhando tanto na Frente Parlamentar Paulista capitaneada pela Deputada Maria Lucia Amary, quanto na Frente Parlamentar de Brasília que é capitaneada pelo Deputado Walter Ihoshi para que esse projeto se torne realidade ate 2014.Dados da indústria farmacêutica mostram que São Paulo perdeu 58 indústrias do setor nos últimos 5 anos, muito por causa de incentivos fiscais que outros Estados dão, principalmente no ICMS.
 
Essa desoneração teria impacto direto no preço dos medicamentos, pois seria repassada na sua totalidade a população. Isso também além de manter empregos no Estado de SP geraria novos postos e também incentivaria mais ainda a pesquisa, que é de fundamental importância além de ser uma característica tradicional do empreendedorismo paulista. Nessa equação, temos a certeza de que menos impostos, significa mais arrecadação, mais empregos e mais desenvolvimento.
 
Vamos avançar.
 
REINALDO MASTELLARO
PRESIDENTE DO SINCAMESP