Notícias Fecomercio

26 de setembro de 2017

Super-ricos são menos tributados que os 10% mais pobres no País, aponta estudo


Relatório britânico mostra diferenças na tributação brasileira

Um estudo da organização não governamental britânica Oxfam, divulgado na segunda-feira (25), mostra que a baixa tributação sobre o patrimônio das camadas mais altas e a alta tributação indireta sobre consumo e serviços fazem com que os super-ricos – aqueles que ganham mais de R$ 252 mil por mês - paguem poucos tributos no País.

De acordo com o relatório "A Distância que nos Une – Um Retrato das Desigualdades Brasileiras", os 10% mais pobres da população brasileira gastam 32% da renda em tributos contra os 21% dos 10% mais ricos. Se considerar apenas os tributos indiretos, a parcela mais pobre compromete 28% da renda com tributos contra 10% da camada mais rica.

Para a Oxfam, uma das sugestões para reduzir as diferenças é a elevação da tributação sobre o patrimônio. Os tributos no Brasil correspondem a apenas 4,5% da arrecadação total, contra 12,15% nos Estados Unidos. A entidade também sugere a criação do Imposto sobre Grandes Fortunas, estabelecido pela Constituição - e que ainda não foi implementado - e a cobrança de Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) para jatos, helicópteros, iates e lanchas.

Voltar para Notícias