BEM VINDO 2014



 
O ano de 2013 já se foi e chegou a hora de começarmos a pisar forte no acelerador para tornar esse novo ano um sucesso, aliás um sucesso do qual a indústria farmacêutica não pode reclamar.
 
Tendo como comparativo o pífio crescimento do PIB brasileiro dos últimos anos, o setor farmacêutico vem crescendo anualmente nos dois dígitos, onde a indústria brasileira se fixou solidamente entre as 10 maiores do mundo. Em 2013 o crescimento ficou entre 10% e 13%, impulsionada fortemente pela entrada dos novos consumidores das classes C e D. Mas desafios aparecem pela frente, como a alta do dólar e com o aumento das taxas de juros, que impactam fortemente nas planilhas do setor, já que mais da metade dos insumos são importados e tem seu balizador em dólares.
 
Também não se pode esquecer das importações de máquinas e de produtos sem concorrente nacional, que sofrerão muito com essa nova cotação que somada ao reajuste salarial médio de 8,0% a 8,5% ao ano, bem superior aos índices de inflação e dos reajustes praticados pela indústria, a rentabilidade do setor vem sendo prejudicada, fazendo com que a indústria sue para manter o ritmo de pesquisas em novas moléculas e expansão de novas plantas industriais.
 
Mas não podemos desanimar. Esse ano teremos a Copa do Mundo e Eleições. Temos esperança de que os projetos de desoneração da carga tributária dos medicamentos saiam do papel e possamos ter medicamentos com preços mais acessíveis à população. Também, esperamos que a ANVISA continue investindo em tecnologia e pessoal para agilizar a análise de processos de atendimento à indústria. Quanto menos burocracia, mais desenvolvimento e geração de empregos teremos.
 
Vamos trabalhar. E que todos possam ter um 2014 excelente.
 
Vamos avançar.